® La Karavelo - marca registada de João José Santos em Portugal
Do desconserto ao concerto
de João José Santos

Livro com vinte contos.

Editora: La Karavelo
Editado em: Lisboa, 2013
Páginas: 132 p.
Formato: 14 cm X 20 cm
Cor: Capa a cores, miolo a preto
ISBN: 978-989-96312-8-1
Género: Narrativo, conto
Língua: Português

Preço do livro (em papel): 16,00 €
Encomendas: lakaravelo@gmail.com.

Preço da versão em pdf: não se aplica
Não se edita qualquer versão desta obra em pdf.

Do conto "Desconserto"

«Quando, num rasgo de consciência, Fernando lhe propunha ficarem em casa, num esforço de contenção orçamental, ela respondia:
- Fernando, tu queres matar-me de tédio... ou quê!?
Outras vezes, ele propunha um restaurante mais económico, mas ela irritava-se:
- Que vergonha, Fernando! Tu deixavas-me entrar, a mim e às nossas filhas, nessa espelunca?
As filhas tornaram-se a claque de apoio da mãe, que gostava de as ver semelhantes a si mesma.»

O título

O primeiro conto da obra chama-se "Desconserto", sendo esta a sua primeira palavra. O último conto tem o nome "Concerto", palavra com que o livro termina. Assim, a obra desenvolve-se, do primeiro ao último conto, e da primeira à última palavra, do desarranjo à harmonia.

Muitos dos contos desenvolvem a ideia subjacente de que o ser humano caminha de um estado de perturbação, que deve ser visto como um desarranjo anímico, à conquista da harmonia cósmica, beleza que surge da organização individual da alma, portanto Do desconserto ao concerto.

Do conto "Apolo Solar Azul"

«Abri os olhos e vi o mais belo passarinho que a natureza alguma vez criara. Pequenino, totalmente azul, de um azul igual ao do céu puro e limpo donde saíra. Era uma nesga de céu corporificada e alegremente dançante. Fiquei quieto, muito quieto, à janela, para não o assustar. O passarinho, nesse momento, num movimento ligeiro, que poderia ter sido um levíssimo salto ou um esvoaçar sem asas, entrou no meu quarto, pousou e sossegou, passeando sobre a secretária junto à janela. Depois, ergueu a cabecita e entoou mais intensamente:
- Pi, piiu...! Piri, pipii...rii!»

Livros La Karavelo